0 Compartilhamentos 926 Views

Como instalar rapidamente o WordPress via SSH

25 de fevereiro de 2015

Se você possui acesso SSH ao seu servidor ou conta de hospedagem, saiba que é muito mais rápido instalar o CMS WordPress desta maneira, via linha de comando.

O modo tradicional de instalação (ou um deles) requer a utilização de um cliente FTP. Trata-se de algo um tanto quanto lento, porém, pois exige que o usuário, após realizar o download do pacote de instalação (e sua respectiva descompactação), faça o upload de centenas de arquivos para o servidor.

Como geralmente as taxas de upload são baixas em boa parte das conexões de internet, o procedimento pode levar bastante tempo. Uma alternativa, portanto, é realizar a maior parte deste procedimento (pelo menos o download e o upload dos arquivos) via SSH.

É claro que não podemos também desconsiderar os softwares instaladores oferecidos por diversas empresas de hospedagem, como por exemplo o Fantastico e o Softaculous. Tais ferramentas, acessíveis à partir dos diversos painéis de controle disponíveis no mercado (Cpanel, DirectAdmin, Plesk, etc), instalam uma série de scripts de forma muito rápida e prática (incluindo o WordPress), cuidando inclusive dos bancos de dados (criação dos BDs, definição de usuários e senhas, etc).

Install

Mas para quem deseja ter maior controle sobre a situação e/ou busca mais rapidez, instalar o WordPress via SSH é uma alternativa bem interessante. Utilize um cliente SSH como o Bitvise SSH Client ou o PuTTY, por exemplo. Vamos lá:

Conectando

Em primeiro lugar, conecte-se ao servidor via SSH, utilizando os dados de login da conta sob a qual o CMS será instalado;

Mudando de diretório

1) Na linha de comando, mude para o diretório onde o WP será instalado. Por exemplo, a pasta “public_html” (lembrando que isto também pode variar dependendo do sistema operacional, da empresa de hospedagem, etc).

Digamos que a instalação será realizada no diretório raiz, na pasta “public_html”. Digite o seguinte comando:

Agora, se você for instalar o WordPress em uma subpasta (por exemplo, “testecodigofonte”, dentro da “public_html”), utilize o comando abaixo:

Baixando e descompactando o pacote de instalação do WordPress

2) Chegou a hora de baixarmos o pacote de instalação do WP. O comando abaixo faz com que a última versão do script seja baixada:

3) Agora precisamos extrair o conteúdo do pacote, da seguinte maneira:

4) Após a execução do comando acima teremos uma pasta chamada “wordpress” com todo o conteúdo necessário à instalação e à posterior execução do CMS.

Note que isto foi realizado rapidamente: o download (comando “wget”) e a descompressão (comando “tar”) foram concluídos em questão de segundos, ao contrário do que aconteceria caso tudo fosse feito via FTP, por exemplo:

5) Conforme o exemplo deste tutorial, precisamos agora mover todo o conteúdo de “public_html/wordpress” para “public_html”. Lembre-se de que a subpasta “wordpress” foi criada no momento em que descomprimimos o arquivo “latest.tar.gz”. Execute o comando abaixo dentro da pasta “public_html”:

6) Em seguida, vamos apagar o diretório “wordpress” (que agora não serve mais para nada) e o pacote .tar.gz baixado, através dos 2 comandos abaixo (lembre-se de permanecer na mesma pasta):

Criando o banco de dados MySQL

7) Chegou o momento de criarmos um banco de dados MySQL. Antes, porém, vamos trocar de usuário. Para facilitar, vamos usar o usuário root (lembrando que você deve possuir acesso root, para tanto – caso contrário, crie o banco de dados através do seu painel de controle e então pule para o passo “9”, abaixo).

Faça a mudança de usuário:

Informe a senha do usuário root conforme solicitado.

Acesse o MySQL, da seguinte maneira:

Após o comando acima, você deve também informar a senha do usuário root, conforme a solicitação aparece no prompt. Tudo correndo bem, uma tela semelhante à abaixo será então exibida:

SSH - Criando banco de dados MySQL

8) Prosseguindo, digite o seguinte comando para criar o banco de dados:

Em seguida, execute os comandos abaixo, linha a linha, um por um (sem esquecer do “;” ao final):

Assim, neste exemplo, criamos o banco de dados “nomedobanco”, permitimos que o usuário “usuario” se conecte ao mesmo, definimos a senha de tal usuário (senha) e também definimos que o mesmo terá todos os privilégios.

OBS: obviamente, lembre-se de não usar uma senha tão simples (“senha”, no exemplo acima). Lembre-se também de realizar todas as alterações necessárias no que diz respeito ao nome do banco de dados e ao usuário.

Para testar, digite:

Se você receber “database changed” como resposta, tudo está ok. Saia do MySQL digitando “exit” (sem aspas) e teclando <ENTER> em seguida.

Editando o arquivo wp-config.php do WordPress no SSH

9) Vamos agora editar o arquivo wp-config.php do WordPress, inserindo no mesmo os dados para conexão com o banco de dados. No pacote de instalação foi fornecido um arquivo chamado “wp-config-sample.php”, entretanto.

Mas é bem simples “renomeá-lo” aqui. Use apenas o comando abaixo, dentro da pasta “public_html” do usuário/conta onde estamos instalando o WordPress (veja os itens 1 a 6, acima):

10) Agora vamos abrir o arquivo, para edição. Você pode também realizar tal procedimento via FTP: baixando o arquivo para seu computador, editando-o com um editor de textos qualquer e em seguida enviando-o de volta para o servidor. Mas vamos continuar no SSH, utilizando um editor como o Vim ou o Nano. Veja:

E você será apresentado à tela abaixo, para a edição do arquivo:

SSH - Editando arquivo wp-config do WordPress

Navegue pelo arquivo normalmente com as setas do teclado. Insira o nome do banco de dados (database_name_here), o usuário (username_here) e a senha do mesmo (password_here). Tudo de acordo com as informações que usamos acima, durante a criação do BD.

Para sair e salvar, tecle “CTRL+X” e confirme que deseja salvar o arquivo (Y).

Finalizando a instalação

11) Pronto! Agora, basta acessar a URL “http://seusite.com/wp-admin/install.php” em seu navegador (lembrando de substituir “seusite.com” pelo endereço correto), e finalizar a instalação.

Sim, este é aquele último passo, durante o qual você irá escolher o usuário e a senha para acesso ao painel de administração do WordPress.

É, este último passo deve ser realizado através do browser, longe do SSH. Mas economizamos um bom tempo, não?

Vale lembrar que os procedimentos descritos acima podem também ser realizados em partes. Você pode, caso desejar, apenas baixar e descompactar o pacote de instalação via SSH, criando o banco de dados e editando o arquivo wp-config.php através de meios mais  tradicionais (painel de controle, FTP, phpMyAdmin, editores de texto, etc).

Carregando...

Você pode se interessar

Sir Clive Sinclair, o homem adiantado no tempo
Artigos
84 visualizações
Artigos
84 visualizações

Sir Clive Sinclair, o homem adiantado no tempo

Carlos L. A. da Silva - 18 de setembro de 2021

O inglês Clive Marles Sinclair nasceu de uma família de engenheiros. Seu avô foi engenheiro, assim como o seu pai. Com um talento natural pela Matemática e um forte interesse em eletrônica, ele se tornaria uma página importante da popularização da computação em diversas partes do mundo, construindo um legado que se perpetuará por anos […]

A cibersegurança por trás das vacinas
Artigos
196 visualizações
Artigos
196 visualizações

A cibersegurança por trás das vacinas

Carlos L. A. da Silva - 7 de setembro de 2021

Vacinas contra o coronavírus contam com aparato sofisticado de cibersegurança que bateu de frente com tentativa de ação de hackers.

Top 25 comandos do Git
Artigos
334 visualizações
Artigos
334 visualizações

Top 25 comandos do Git

Carlos L. A. da Silva - 28 de agosto de 2021

Git é uma mão na roda para source control, mas pode ficar melhor ainda conhecendo os comandos certos.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Mais publicações

Dez anos de Kotlin: origens e futuro
Artigos
389 visualizações
389 visualizações

Dez anos de Kotlin: origens e futuro

Carlos L. A. da Silva - 20 de agosto de 2021
10 jogos que todo programador deveria conhecer
Artigos
704 visualizações
704 visualizações

10 jogos que todo programador deveria conhecer

Carlos L. A. da Silva - 1 de agosto de 2021