0 Compartilhamentos 984 Views 1 Comments

Como proteger o conteúdo do seu blog

26 de outubro de 2015

Você monta seu blog. Se esforça ao máximo, estuda, pesquisa, gasta um tempo enorme preparando posts e artigos diversos. Um belo dia, descobre que seu conteúdo foi roubado, copiado sem a menor cerimônia.

Alguém simplesmente resolveu se apossar daquilo que é seu, de seus textos produzidos com enorme esmero, republicando-os sem nem ao menos citar o seu nome ou o nome do seu veículo. E, pior, tal pessoa ainda decide que pode ganhar dinheiro à custa do seu trabalho, enchendo o local onde seu texto foi publicado sem autorização de propaganda, de banners e mais banners. Triste, não?

Isso sem falar nos problemas relacionados a SEO, conteúdo duplicado, quedas de ranking, etc. Sim, a cópia de conteúdo alheio de forma indiscriminada e não autorizada é um problema e tanto, origem de fortes dores de cabeça para muita gente.

Conteúdo

De antemão, porém, gostaríamos de dizer que não. Infelizmente, não existe uma maneira simples, rápida e indolor de evitar este tipo de coisa. Existem alguns paliativos, entretanto. Plugins e ferramentas que podem ajudar a proteger um pouco o seu blog em WordPress.

Neste artigo gostaríamos de falar sobre eles. Porém, novamente é bom avisar de antemão que estamos falando a respeito de um método, digamos, dos mais simples e menos elaborados de cópia de conteúdo de forma indevida.

De um método bastante primário, digamos. Da mesma maneira, as dicas que iremos apresentar são voltadas a este tipo de cópia indevida, e infelizmente, não são totalmente à prova de “furos”.

Alguém com um mínimo de conhecimento pode burlar tais métodos preventivos, e de maneira bastante simples. Alguém que saiba como acessar o código fonte do site ou blog alvo, por exemplo, pode literalmente passar por cima de tais proteções e continuar roubando o conteúdo.

Nem tudo são flores, infelizmente. Mas mesmo assim, vamos dar uma olhada em algumas maneiras de evitar ações como CTRL+C, por exemplo, ações através das quais o texto de seus posts pode ser copiado para a área de transferência do Windows e, à partir daí, ir parar em qualquer lugar.

Mais uma vez, porém, fica o aviso: estes métodos não são totalmente seguros e/ou garantidos. É possível burlá-los com um mínimo de conhecimento, também rapidamente.

WP Content Copy Protection & No Right Click

Este plugin oferece uma variedade de proteção bastante interessante, utilizando JavaScript em uma primeira etapa, para a proteção dos posts individuais (single.php), da homepage e das páginas do blog em WordPress.

Ele também faz uso de técnicas mais avançadas que incluem CSS, e é capaz de garantir a proteção do conteúdo de maneira mais eficiente com tais recursos ativados.

O plugin desabilita totalmente os cliques com o botão direito do mouse nas páginas estáticas e nos posts, e também não deixa que o conteúdo seja selecionado com o mouse, o que, portanto, inviabiliza o uso do CTRL + C.

O usuário pode inclusive definir um texto que será exibido ao visitante/copiador tão logo este execute alguma das ações proibidas.

No Right Click Images Plugin

Outra experiência bastante chata: saber que alguém simplesmente baixou uma de suas imagens, de um de seus posts, e a reutilizou, em um outro post em outro blog, sem sua permissão.

Como isto pode ser feito? Bem, digamos que tudo pode começar com um clique com o botão direito do mouse sobre a imagem. Em seguida, basta utilizar a opção apropriada no menu de contexto para baixar a mesma.

O plugin “No Right Click Images” simplesmente desativa esta opção. Após instalá-lo, o clique com o botão direito do mouse sobre as imagens do blog não existe mais. Simples assim.

O dono do blog ainda pode definir nas configurações do plugin se deseja substituir a imagem tão logo um right click seja detectado (com alguma imagem de advertência, por exemplo), e também é possível bloquear até mesmo o movimento de drag & drop (arrastar e soltar). Simples, rápido e prático.

Content Copy Protection & Prevent Image Save

Este plugin oferece as funções dos dois plugins citados acima. Tudo em um único pacote. Ele evita que o texto dos posts seja selecionado, bloqueia o clique com o botão direito em imagens e também bloqueia o CTRL + C.

Além disso, a combinação CTRL+S, que salva as páginas, também é totalmente bloqueada pelo “Content Copy Protection & Prevent Image Save”, e o usuário ainda pode configurar mensagens que serão exibidas nos casos de tentativa de execução das ações proibidas.

Uma janela popup de aviso também é exibida quando alguém tenta clicar com o botão direito do mouse sobre uma imagem (para tentar salvá-la no computador, por exemplo), ao contrário do que acontece com o plugin “No Right Click Images”.

Com este plugin, as seguintes teclas de atalho são desabilitadas: CTRL+A, CTRL+C, CTRL+X,CTRL+S e CTRL+V.

Dicas adicionais

É importante ressaltar novamente que os plugins acima não garantem que seus textos não serão copiados. Eles podem ajudar, mas nada impede que alguém com os conhecimentos necessários continue acessando e copiando seu conteúdo (as ferramentas para desenvolvedores dos browsers modernos estão aí, além disso, por exemplo – resta-nos torcer para que uma parcela dos ladrões de conteúdo não saiba utilizá-las).

Também existe o feed RSS do blog, o qual, caso ativo, geralmente fica neste endereço: “www.nomedosite.tld/feed/”. O feed pode também ser de grande ajuda para quem está em busca de seu conteúdo de forma indevida. Existem até mesmo sistemas automatizados destinados a monitorar e “capturar” postagens através do feed.

Plugins como o “Simple Feed Copyright“, por exemplo, podem pelo menos permitir que você adicione uma “assinatura” ao conteúdo, avisando que ele é de sua autoria.

Utilize também ferramentas como o PlagTracker, por exemplo, para buscar por conteúdo duplicado (por ocorrências de seus textos em outros locais, por exemplo).

Se possível, além disso, adicione marcas d’água às suas imagens. Se puder incluir a sua URL nas imagens também será muito bom, lembrando que isto não impede, obviamente, que as imagens sejam editadas para que tal área seja eliminada (caso você não use uma marca d’água apropriada, a qual obviamente não é bem vinda em todas as situações).

Caso necessário e em caso de problemas, tente entrar em contato com a pessoa que copiou e reproduziu seu conteúdo sem permissão. Caso não obtenha uma resposta, procure o host, a empresa responsável pela hospedagem do site.

Finalizando, utilize vez ou outra uma ferramenta como o Plagiarism Checker, a qual busca por conteúdo semelhante ao seu na internet (conteúdo possivelmente seu e reproduzido sem sua autorização).

Carregando...

Você pode se interessar

Por que eu decidi não migrar para o Windows 11 agora
Artigos
113 visualizações
Artigos
113 visualizações

Por que eu decidi não migrar para o Windows 11 agora

Carlos L. A. da Silva - 19 de outubro de 2021

O novo sistema operacional da Microsoft está entre nós, mas talvez não seja uma boa ideia pular de cabeça.

Enumerando e analisando mais de 40 implementações de JavaScript (que não são V8)
Artigos
241 visualizações
Artigos
241 visualizações

Enumerando e analisando mais de 40 implementações de JavaScript (que não são V8)

Carlos L. A. da Silva - 6 de outubro de 2021

V8 é o interpretador JavaScript, também chamado de máquina virtual Javascript, desenvolvido pela Google e utilizado em seu navegador Google Chrome. Com o peso de seus criadores e a quase onipresença do navegador, foi apenas uma questão de tempo para essa implementação do JavaScritp se tornar dominante no mercado. Entretanto, um bom desenvolvedor sabe que […]

Sir Clive Sinclair, o homem adiantado no tempo
Artigos
424 visualizações
Artigos
424 visualizações

Sir Clive Sinclair, o homem adiantado no tempo

Carlos L. A. da Silva - 18 de setembro de 2021

O inglês Clive Marles Sinclair nasceu de uma família de engenheiros. Seu avô foi engenheiro, assim como o seu pai. Com um talento natural pela Matemática e um forte interesse em eletrônica, ele se tornaria uma página importante da popularização da computação em diversas partes do mundo, construindo um legado que se perpetuará por anos […]

One Response

Deixe uma Resposta para Daniela Cancelar resposta

Your email address will not be published.

Mais publicações

A cibersegurança por trás das vacinas
Artigos
524 visualizações
524 visualizações

A cibersegurança por trás das vacinas

Carlos L. A. da Silva - 7 de setembro de 2021
Top 25 comandos do Git
Artigos
665 visualizações
665 visualizações

Top 25 comandos do Git

Carlos L. A. da Silva - 28 de agosto de 2021
Dez anos de Kotlin: origens e futuro
Artigos
719 visualizações
719 visualizações

Dez anos de Kotlin: origens e futuro

Carlos L. A. da Silva - 20 de agosto de 2021