0 Compartilhamentos 220 Views

“Meu site está fora do ar?!”

O site saiu do ar.

Medo.

Pânico.

Raiva.

A mão para telefonar para o suporte do servidor chega a tremer. Dependendo do contrato que você fechou, esse atendimento pode custar uma taxa extra inesperada. Ou fazer com que você entre em contato com alguém cujo domínio de inglês é pior do que o seu e cuja resposta pode demorar 48 horas. Ou tudo junto. Enquanto isso, seu site caiu. Como vão ficar as vendas? O chefe está de olho! A matriz vai mandar bronca! Você está perdendo dinheiro.

Calma. O primeiro passo é manter a calma.

O segundo passo é se perguntar: “será que caiu mesmo?”. Para responder essa pergunta para você, a melhor opção é utilizar os serviços do Down For Everyone Or Just Me. É um site gratuito que responde: “está fora do ar ou é apenas comigo?”. Você digita a URL afetada e aperta Enter. E ele dá a resposta na hora:

down-for-everyoneSe o site estiver mesmo fora do ar para todo mundo, o serviço vai te informar. Nesse caso… entre em pânico, contate o servidor, atualize seu LinkedIn. Algo errado está acontecendo e não é na sua máquina. Nos despedimos por aqui. Boa sorte.

Mas… e se o serviço indicar que o problema é só contigo? Nesse caso, menos mal, significa que outros usuários estão conseguindo acesso normalmente mas temos que investigar qual é o motivo por trás desse súbito bloqueio.

Nosso próximo passo agora é testar o mesmo endereço com outro navegador. Um bom desenvolvedor web deve ter pelo menos dois navegadores instalados no seu sistema, de preferência todos. Se a página abrir em outro navegador, isso pode significar uma incompatibilidade de código (muito pouco provável, mas nada é impossível em informática), um cache corrompido ou um conflito de DNS. Considere reinstalar o navegador anterior, limpar o cache ou desativar extensões que possam estar provocando o problema.

O site não abre em navegador nenhum? Desculpe perguntar,  mas você tem certeza de que sua internet está funcionando? Pressuponho que sim, ou não estaria lendo esse artigo. Então, vamos tentar isolar outro possível culpado: o DNS. Ao invés de acessarmos seusite.com, vamos entrar pelo IP dele.

(você sabe que o domínio nada mais é que o nome “humano” para o endereço físico em forma de números onde as páginas estão realmente armazenadas, não?)

Para descobrir o endereço IP de um site, você pode usar o serviço Whois Domain Name Lookup ou diversas outras ferramentas que nós já recomendamos por aqui. De posse do IP, basta jogar essa combinação de números na barra de endereços do navegador para ir direto ao site.

whois

Pode experimentar: 200.221.2.45 leva direto para a página inicial do UOL. Pelo menos, enquanto eles não mudarem de servidores.

Se você consegue acessar o site que você quer usando o endereço IP, mas não o seu domínio, isso significa que o seu DNS não está resolvendo o endereço como deveria. Você pode limpar o cache do DNS de sua conexão para ver se volta a funcionar ou tentar um servidor de DNS alternativo.

Não resolveu? Uma causa incomum (mas não impossível, lembre-se…) para você ainda estar sem acesso ao site em questão é uma possível alteração do arquivo de Hosts do Windows. Quase todo mundo esquece que esse recurso existe, até ele dar problema. É um simples arquivo de texto do sistema operacional que relaciona sites com endereços IP, praticamente um DNS pessoal. Para acessá-lo rapidamente, direto no Bloco de Notas, digite “notepad %windir%\System32\drivers\etc\hostsb” na caixa Executar do Windows (que você pode chamar com Win+R).

hosts

Em condições normais, você deve encontrar uma descrição (em inglês) do que o arquivo Hosts faz, alguns exemplos e nada mais. Cada linha é precedida por um sinal de “#”, que indica que não é para o Windows interpretar esses comandos. Mas é possível que você encontre o endereço do site inacessível aí, associado com algum endereço IP errado, por algum motivo muito obscuro e inexplicado. Você pode apagar a linha problemática ou apenas inserir um “#” no início dela para que tudo volte ao normal.

Mas, se você não consegue acessar esse endereço mesmo através do IP, então… rompeu um cabo submarino em algum lugar ou um pulso eletromagnético devastou a internet como a conhecemos e começaremos a brigar com paus e pedras por algumas curtidas. Não temos nenhuma solução para qualquer uma das duas hipóteses, então nos despedimos por aqui. Boa sorte.

Você pode se interessar

Vídeos
1,655 compartilhamentos6,804 visualizações

Reagindo a Vagas de Estágio // Vlog React #91

Thais Cardoso de Mello - 21 de março de 2019

Confira no vídeo se o que dizem sobre os estágio no Brasil realmente faz sentido.

A Inteligência Artificial que era perigosa demais
Artigos
3 visualizações
Artigos
3 visualizações

A Inteligência Artificial que era perigosa demais

Carlos L. A. da Silva - 21 de março de 2019

A estranha história da pesquisa que precisou ser engavetada por um bom motivo...

TypeScript // Dicionário do Programador
Vídeos
1,655 compartilhamentos6,808 visualizações
Vídeos
1,655 compartilhamentos6,808 visualizações

TypeScript // Dicionário do Programador

Thais Cardoso de Mello - 18 de março de 2019

TypeScript é o termo falado nesse Dicionário do Programador, conheça mais sobre o assunto.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Mais publicações

Promoções de Jogos do Final de Semana (15/03)
Notícias
11 visualizações
11 visualizações

Promoções de Jogos do Final de Semana (15/03)

Carlos L. A. da Silva - 15 de março de 2019
Mega Bate-Papo com o Programador BR (feat. Igor Oliveira) // CDF Entrevista
Vídeos
1,655 compartilhamentos6,812 visualizações
1,655 compartilhamentos6,812 visualizações
World Wide Web completa 30 anos!
Notícias
13 visualizações
13 visualizações

World Wide Web completa 30 anos!

Carlos L. A. da Silva - 12 de março de 2019
Ada Lovelace: o cérebro que nunca morre
Artigos
134 visualizações1
134 visualizações1

Ada Lovelace: o cérebro que nunca morre

Carlos L. A. da Silva - 12 de março de 2019