0 Compartilhamentos 295 Views 2 Comments

WordPress: como desinstalar total e corretamente um plugin

2 de março de 2016

Se você utiliza o WordPress, sabe que muitas vezes a instalação de plugins ocorre de maneira indiscriminada. Quando se pensa em alguma função não coberta pelo CMS “puro”, é natural que uma busca no WordPress.org seja então realizada, a fim de encontrar algum plugin que se aproxime.

Existe uma enorme variedade de plugins, além disso. Muitos, muitos mesmo. Para todos os gostos e necessidades, gratuitos e pagos. Formulários de contato, backup, segurança, login e autenticação, redes sociais, downloads, geração de sitemaps, RSS, galerias de imagens, redirecionamentos, etc. A lista pode ser enorme.

E os plugins, como se sabe, podem se transformar em fontes de enormes dores de cabeça, no WordPress. Eles podem acabar consumindo recursos em demasia. Eles podem, por exemplo, exaurir a memória do servidor de maneira bastante rápida.

WordPress

Eles também acabam “inchando” o banco de dados, o que acaba resultando, obviamente, em arquivos de backup maiores, desnecessariamente.

Muitos usuários também acabam instalando plugins sem cuidado algum no tocante à segurança. E muitos plugins podem acabar contendo falhas e/ou brechas de segurança, problemas capazes de trazer problemas não apenas ao site, mas sim ao servidor como um todo.

Imagine uma instalação do WordPress cujo proprietário começou a instalar plugins desde quando o CMS foi instalado. Este mesmo usuário, quem sabe, simplesmente foi desativando aqueles plugins que não mais utilizava. Ou, quem sabe, ele simplesmente se esqueceu de tais plugins, mantendo-os constantemente ativos. Imagine uma situação semelhante, onde uma grande variedade de plugins foi instalada e desativada, apenas para testes. Dois, três ou mais plugins semelhantes, instalados apenas para que o usuário pudesse determinar quais eram os melhores. Quais faziam determinada “coisa” melhor.

Pois bem, imagine esta mesma instalação do WP, agora, cheia de plugins, inativos ou não, muitos deles desatualizados e repletos de problemas de segurança. Todos eles impactando o servidor negativamente, todos contribuindo para tornar os backups ainda maiores, todos enchendo o banco de dados de tabelas e dados desnecessários, o que também pode resultar em mais lentidão. Percebeu o problema?

Simplesmente desativar um plugin não mais utilizado também não é a melhor opção, até mesmo porque, neste caso, todos os seus arquivos continuam no WordPress, com todas as possíveis e hipotéticas brechas de segurança.

Use este recurso apenas caso seja necessário verificar se determinados plugins são os responsáveis por algum hipotético problema (alguma incompatibilidade, por exemplo).

E agora, vamos te ensinar a desinstalar total e corretamente plugins no WordPress.

Obs: antes de prosseguir, verifique se o plugin realmente não será mais utilizado.

Obs 2: antes de prosseguir, também, não se esqueça de realizar um backup do seu WordPress. Este é um detalhe importantíssimo. Dê uma olhada nos artigos abaixo, nos quais falamos justamente a respeito deste assunto:

E para verificar o impacto de cada um dos plugins ativos no seu site, dê uma olhada no artigo abaixo:

1) Desinstalando o plugin

Antes de qualquer coisa, desinstale o plugin através da área administrativa do WordPress.

1a) Na dashboard, vá em “Plugins” ==> “Plugins instalados” (à esquerda):

WordPress - Desinstalando plugins

1b) Na próxima tela, utilize os diversos filtros disponíveis, caso necessário (inativos, tudo, ativos, etc), e localize o plugin que será desinstalado.

Caso o plugin em questão esteja “ativo”, será necessário desativá-lo, antes de qualquer coisa. Utilize, portanto, o link “Desativar”, logo abaixo do nome do plugin, e aguarde pela confirmação da desativação:

WordPress - Desinstalando plugins

 1c) Chegou o momento de desinstalar o plugin. Caso necessário, utilize, ainda na mesma tela, o filtro “inativos”, e localize o plugin que será excluído.

1d) Clique no link “Excluir”, logo abaixo do nome do plugin:

WordPress - Desinstalando plugins

1e) Na próxima tela, confirme a exclusão, clicando no botão “Sim, exclua estes arquivos e dados”;

2) Eliminando os shortcodes

Um grande número de plugins e temas utilizam shortcodes. Caso tais plugins ou temas sejam eliminados, bem, os posts e páginas que fazem uso dos tais shortcodes ficarão bem estranhos ou feios. No caso, os elementos referenciados pelos códigos serão substituídos por algo mais ou menos assim:

[shortcode_plugin]

Portanto, você precisa fazer com que tais shortcodes não sejam exibidos. Abra o arquivo “functions.php” do seu WordPress, e não se esqueça de fazer uma cópia de segurança do mesmo, antes de qualquer coisa.

No arquivo, adicione a linha abaixo:

add_shortcode( 'shortcode_plugin', '__return_false' );

Salve o arquivo e reenvie-o para o servidor.

Obs: substitua “shortcode_plugin” pelo nome correto do shortcode em uso no seu site.

3) Eliminando arquivos e pastas do plugin

Muitas vezes, arquivos e pastas de um plugin permanecem, mesmo após o plugin ser desinstalado, conforme vimos no procedimento 1, acima.

É sempre bom verificar se ainda existem arquivos e/ou pastas relacionados a plugins quer foram desinstalados. Tais “restos” podem ainda existir fora da pasta onde os plugins são armazenados por padrão no WordPress (wp-content/plugins).

Para isto, utilize um cliente FTP qualquer (como o Filezilla, por exemplo). Conecte-se e acesse, então, a pasta “/wp-content”: a grande maioria destes arquivos “extras” de plugins são armazenados nesta pasta. Verifique aí por arquivos e pastas relacionados a plugins já desinstalados através da dashboard. Apague-os.

4) Limpando o banco de dados

Muitos plugins também criam tabelas próprias no banco de dados em uso com o WordPress tão logo são instalados, e geralmente, tais tabelas não são eliminadas quando de sua desinstalação. Felizmente, é também bastante simples eliminá-las, manualmente.

Obs: vale a pena lembrar mais uma vez da importância do backup. Se você ainda não fez o seu, não perca mais tempo e faça agora, antes de prosseguir.

Acesse o gerenciador de bases de dados de sua preferência, como o phpMyAdmin, por exemplo. Conecte-se com o banco de dados que está em uso pelo WordPress e busque por quaisquer tabelas que façam referência ao plugin que você acaba de desinstalar através da área administrativa do CMS.

Observe que as tabelas do WordPress possuem geralmente o prefixo “wp_’. Busque por quaisquer tabelas cujos nomes (após o prefixo) façam referência ao plugin que está sendo desinstalado totalmente. Caso necessário, entre em contato com o desenvolvedor (através de fóruns, sistemas de suporte, chat, telefone, etc) e pergunte a ele quais tabelas o plugin cria/utiliza.

Selecione tais tabelas. Marque-as e então utilize a opção “Com os selecionados” ==> “Elimina” (drop), no rodapé:

WordPress - Desinstalando plugins

Na tela seguinte, confirme a exclusão da(s) tabela(S).

Pronto, seu plugin foi desinstalado com sucesso! Até a próxima!

Você pode se interessar

Promoções de Jogos do Final de Semana (05/07)
Notícias
4 visualizações
Notícias
4 visualizações

Promoções de Jogos do Final de Semana (05/07)

Carlos L. A. da Silva - 5 de julho de 2019

Confira as melhores ofertas de jogos de PC para o final de semana.

Como usar o WhatsApp com um telefone fixo
Dicas
6 visualizações
Dicas
6 visualizações

Como usar o WhatsApp com um telefone fixo

Carlos L. A. da Silva - 5 de julho de 2019

Versão do aplicativo aceita autenticação através de linha fixa e tem funcionalidades semelhantes.

5 fatos que todo departamento de TI pode aprender com Fortnite
Artigos
8 visualizações
Artigos
8 visualizações

5 fatos que todo departamento de TI pode aprender com Fortnite

Carlos L. A. da Silva - 1 de julho de 2019

O Departamento de TI de uma empresa não é apenas um lugar onde os caras jogam Fortnite o dia inteiro. Grandes desastres podem vir de lá também...

2 Responses

  1. Certo esta é uma boa mas, muitos plugins e temas ainda acrescentam arquivos na tabela options e convenhamos, procurar manualmente estes restos é um pé no saco, deveria existir um plugins ou uma ferramenta para que limpasse o banco de dados, retirando todos os restos referente ao plugin desinstalado.
    Melhor ainda deveria existir uma lei para que os desenvolvedores de plugins e temas acrescentassem aos mesmo uma forma de eliminar too e qualquer rastros deixados pelos plugins e ou temas.

    Meu blog tem apenas 3 anos e o bd já está chegando ao limite, já deletei tabelas e até alguns restos nde plugins e temas deixados na tabela options mas, mesmo assim sei que existem muito mais por lá

    Já usei diversos plugins que prometem limpar e otimizar banco de dados do WordPress mas, só que fazem é encher ainda mais de lixo em meu banco de dados.

    Trabalhei por quase um mês em um de meus blogs, tem + ou – 500 posts e algumas páginas, instalei uma nova instalação do WordPress e copiei cada artigo e páginas para esta nova instalação e usei um plugin de importação / exportação e eliminei o meu blog e importei esta nova instalação, antes o banco de dados tinha 99MB compactado e agora sem compactação está com um pouco mais de 17MB sem compactação, usando os mesmos plugins e tema que no antigo.

    Deu muito trabalho mas, valeu apena, estou com um blog limpo e leve.

    Agora estou trabalhando com o meu blog principal, este é bem mais complexo, acredito que levarei mais de um mês para refazê-lo e deixá-lo limpo e leve.

    Resposta

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Mais publicações

HTML // Dicionário do Programador
Vídeos
2 visualizações
2 visualizações

HTML // Dicionário do Programador

Thais Cardoso de Mello - 1 de julho de 2019
Promoções de Jogos do Final de Semana (28/06)
Notícias
8 visualizações
8 visualizações

Promoções de Jogos do Final de Semana (28/06)

Carlos L. A. da Silva - 28 de junho de 2019
FIREBASE Database na Prática com JAVASCRIPT PURO // Mão no Código #14
Vídeos
1,655 compartilhamentos6,807 visualizações
1,655 compartilhamentos6,807 visualizações
Como baixar o novo Windows Terminal
Dicas
18 visualizações
18 visualizações

Como baixar o novo Windows Terminal

Carlos L. A. da Silva - 26 de junho de 2019