0 Compartilhamentos 187 Views 1 Comments

Protegendo a área administrativa do WordPress de ataques “brute force”

28 de julho de 2014

Ataques “brute force” (força bruta) geralmente têm por objetivo descobrir dados de login (usuário e senha). Descobrir e utilizá-los, claro. Dados de um website, de um sistema, etc. Mas o que são tais ataques? Trocando em miúdos, são ataques que, literalmente, forçam a entrada, “tentam a sorte”.

Um atacante pode tentar realizar tal ataque sem usar ferramenta alguma, digitando combinações de “usuário” e “senha” manualmente, mas aí, as chances de sucesso serão reduzidas drasticamente, sem contar que o tempo para tal, dependendo da senha a ser descoberta, bem como de sua força, poderá ser enorme. O processo, assim, pode até mesmo se tornar impossível.

socoMas é claro que os atacantes não fazem desta forma. Geralmente, eles utilizam ferramentas para ataques brute force, ferramentas que são capazes de inserir combinações de “usuário” e “senha” em formulários de login com uma frequência altíssima (dezenas, centenas, milhares de vezes por minuto). Estas ferramentas de ataque trabalham na base da tentativa e erro, e quanto mais fraca for a senha utilizada (evite datas de nascimento, sequências como 123456, abcdefg, etc), mais rápido elas acertarão.

Na internet, para os mal intencionados, existem até mesmo listas contendo milhares de combinações, as quais podem então ser utilizadas em conjunto com estas ferramentas de ataque. Acertada a combinação, o acesso está garantido, e aí, os estragos podem ser imensos.

Ataques brute force contra o WordPress

O WordPress é uma plataforma bastante utilizada em websites e blogs no mundo todo. Milhões de sites utilizam o CMS, e devido à sua enorme popularidade, ele é bastante visado por atacantes. Já aconteceram inclusive ataques em massa direcionados a sites que utilizam a plataforma: imagine a quantidade de blogs e sites que podem ter sido comprometidos?

No WordPress, um ataque brute force pode ser direcionado à página de login (www.enderecodosite.tld/wp-login.php). Todos sabem, pelo menos os usuários e os atacantes, que é através desta página que o administrador realiza login. É através dela que ele entra no site a fim de gerenciá-lo, escrever e publicar posts, instalar plugins, etc. Portanto, o “wp-login.php” é o alvo.

Protegendo o WordPress com o plugin Rename wp-login.php

Existem uma série de maneiras de proteger sua instalação do WP de tal tipo de ataque. De impedir o acesso de pessoas mal intencionadas à esta “porta”. Se o atacante se perder, se ele não conseguir nem ao menos visualizar a porta, então ele não conseguirá realizar o ataque, não é?

Aí pode entrar em cena o plugin “Rename wp-login.php”, o qual é bastante amigável e extremamente simples de ser instalado e configurado. Caso você tenha alguma dúvida a respeito da instalação de plugins no WordPress, dê uma lida neste artigo a respeito do plugin “P3 (Plugin Performance Profiler)” – aí existem detalhes da instalação através da própria interface de administração do WordPress.

Bem, o plugin “Rename wp-login.php” permite que você renomeie a “porta de entrada” do WP. Que você altere o endereço de login (www.enderecodosite.tld/wp-login.php), mudando “wp-login.php” para um outro nome qualquer de sua escolha, fazendo assim com que o seu site ou blog fique fora do radar dos atacantes.

Após instalar e ativar o plugin, vá até “Settings ==> Permalinks”, ou “Configurações ==> Links permanentes”, e localize a seção “Rename wp-login.php”. Em “Login url”, logo após o endereço do seu site, existe um campo onde você pode digitar o que desejar.

O novo endereço para acessar sua área de administrativa.

Rename wp-login.phpPor exemplo:

  • www.enderecodosite.tld/xbh3424p
  • www.enderecodosite.tld/cdft42lol
  • www.enderecodosite.tld/asd87ujkkk

E assim por diante. Preencha o campo e clique no botão “Save changes”. Note que nos exemplos acima “xbh3424p”, “cdft42lol” e “asd87ujkkk” são os substitutos do “antigo” wp-login.php. Assim, é muito mais difícil se tornar alvo de ataques brute force direcionados à página de login padrão do WordPress.

Vale lembrar que mesmo quando este tipo de ataque não obtém sucesso, ou seja, quando as senhas não são descobertas, o processo de tentativa e erro realizado com enorme frequência pode elevar o load no servidor, resultando em problemas que podem chegar a fazer com que o(s) site(s) saia(m) do ar.

Finalizando, não se esqueça: coloque a nova URL de login em seus favoritos e utilize sempre senhas fortes, compostas por letras maiúsculas, minúsculas e caracteres especiais.

Clique aqui para baixar o plugin Rename wp-login.php

Você pode se interessar

Promoções de Jogos do Final de Semana (19/07)
Notícias
20 visualizações
Notícias
20 visualizações

Promoções de Jogos do Final de Semana (19/07)

Carlos L. A. da Silva - 19 de julho de 2019

Confira as melhores ofertas de jogos de PC para o final de semana.

Como ativar o DNS-over-HTTPS (DoH) no Firefox
Dicas
13 visualizações
Dicas
13 visualizações

Como ativar o DNS-over-HTTPS (DoH) no Firefox

Carlos L. A. da Silva - 18 de julho de 2019

Protocolo aumenta a segurança da navegação de seus dados e navegador da Mozilla por enquanto é o único com suporte oficial.

Autenticação através do GitHub com JavaScript e OAuth
Códigos
16 visualizações
Códigos
16 visualizações

Autenticação através do GitHub com JavaScript e OAuth

Redação - 17 de julho de 2019

Veja como criar de forma simples um botão social de login com Github usando OAuth. Neste guia Javascript com códigos que funcionam você aprende como. Confira o passo a passo e crie o seu.

Mais publicações

SEO // Dicionário do Programador
Vídeos
15 visualizações
15 visualizações

SEO // Dicionário do Programador

Thais Cardoso de Mello - 15 de julho de 2019
Promoções de Jogos do Final de Semana (12/07)
Notícias
16 visualizações
16 visualizações

Promoções de Jogos do Final de Semana (12/07)

Carlos L. A. da Silva - 12 de julho de 2019
Conheça Astaroth: o Cavalo de Troia que se alastra no Brasil
Artigos
30 visualizações
30 visualizações

Conheça Astaroth: o Cavalo de Troia que se alastra no Brasil

Carlos L. A. da Silva - 11 de julho de 2019