0 Compartilhamentos 136 Views

Usuário reclama de produto e tem dispositivo “bricado” remotamente

Um norte-americano identificado apenas como R. Martin publicou uma crítica negativa de um produto na Amazon: foi o estopim para comprar uma briga feia com o fabricante.

O aparelho em questão, batizado de Garadget é uma solução automatizada que supostamente abriria portas de garagem através de um aplicativo no smartphone.

Nas palavras do consumidor, o produto é um “lixo” e ele orienta os outros usuários: “NÃO DESPERDICE SEU DINHEIRO – o aplicativo para iPhone é uma pedaço de lixo, trava constantemente”. Ele também acusa a startup responsável pelo Garadget de “obviamente não ter realizado testes de controle de qualidade apropriados em seus produtos”. Não satisfeito, Martin buscou os fóruns oficiais da empresa e soltou o verbo lá também, criticando o seu funcionamento.

garadget

Foi uma questão de tempo para o aplicativo parar de vez. Sequer inicializava. De uma hora para outra, Martin estava diante de um aparelho para abrir a porta de sua garagem que não funcionava de jeito algum. Ele havia sido “bricado” pelo próprio fabricante.

A atitude radical foi tomada por Denis Grisak, ninguém menos que o CEO da empresa, que respondeu às mensagens no fórum e declarou que o direito de acesso à API da unidade em mãos de R. Martin havia sido permanentemente revogado e ele podia pedir o dinheiro de volta, se quisesse. “A linguagem abusiva e seu review negativo na Amazon, enviados minutos depois de experimentar uma dificuldade técnica, apenas demonstram seu baixo auto-controle”.

Grisak ainda acusou o consumidor de estar fazendo “pirraça” e que deseja ter distância de “indivíduos tóxicos”. Entretanto, o CEO da empresa que fabrica o Garadget nega que tenha “bricado” o aparelho, embora seja impossível para o usuário colocá-lo para funcionar daqui para frente sem o acesso aos servidores.

Na página do produto da Amazon há usuários relatando problemas similares e também com críticas negativas à solução de automação de portas de garagem, mas, por enquanto, R. Martin segue sendo o único banido remotamente de usar o produto que comprou. Vários usuários se solidarizaram com o consumidor lesado e existe a possibilidade que o cliente abra um processo contra o fabricante por danos morais.

Você pode se interessar

Vídeos
1,655 compartilhamentos6,805 visualizações

Reagindo a Vagas de Estágio // Vlog React #91

Thais Cardoso de Mello - 21 de março de 2019

Confira no vídeo se o que dizem sobre os estágio no Brasil realmente faz sentido.

A Inteligência Artificial que era perigosa demais
Artigos
3 visualizações
Artigos
3 visualizações

A Inteligência Artificial que era perigosa demais

Carlos L. A. da Silva - 21 de março de 2019

A estranha história da pesquisa que precisou ser engavetada por um bom motivo...

TypeScript // Dicionário do Programador
Vídeos
1,655 compartilhamentos6,808 visualizações
Vídeos
1,655 compartilhamentos6,808 visualizações

TypeScript // Dicionário do Programador

Thais Cardoso de Mello - 18 de março de 2019

TypeScript é o termo falado nesse Dicionário do Programador, conheça mais sobre o assunto.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Mais publicações

Promoções de Jogos do Final de Semana (15/03)
Notícias
11 visualizações
11 visualizações

Promoções de Jogos do Final de Semana (15/03)

Carlos L. A. da Silva - 15 de março de 2019
Mega Bate-Papo com o Programador BR (feat. Igor Oliveira) // CDF Entrevista
Vídeos
1,655 compartilhamentos6,812 visualizações
1,655 compartilhamentos6,812 visualizações
World Wide Web completa 30 anos!
Notícias
13 visualizações
13 visualizações

World Wide Web completa 30 anos!

Carlos L. A. da Silva - 12 de março de 2019
Ada Lovelace: o cérebro que nunca morre
Artigos
136 visualizações1
136 visualizações1

Ada Lovelace: o cérebro que nunca morre

Carlos L. A. da Silva - 12 de março de 2019